Recordes Brasileiros em VHF  
  Regras - Envio - Recordes - Apoio - Contato  
     
 
Regras
 
     
 

A relação de Recordes Brasileiros em VHF ordena as maiores distâncias abrangidas pelos contatos entre radioamadores em bandas acima dos 30 MHz (VHF - UHF - SHF - EHF).

Apenas contatos ponto a ponto, sem uso de repetidoras, VoIP ou satélites, com efetiva troca de indicativos e reportagens, são considerados para a relação.

Ao menos uma das estações envolvidas no QSO deve estar localizada dentro do território brasileiro ou nas ilhas oceânicas brasileiras (PY0F, PY0S, PY0R, PY0T, PY0M).

Não são válidos contatos em banda cruzada, exceto para estações no Brasil com recepção em 70 MHz e transmissão em qualquer outra banda autorizada acima dos 30 MHz. O recorde valerá para 70 MHz com a devida especificação.

O contato recordista é posicionado pela banda e o tipo de propagação empregada. Apenas em 50 MHz e 70 MHz a ordenação é absoluta, sem especificação do tipo de propagação.

Todas as distâncias são contadas pela organização segundo o software WinGrid de W4SM.

Para ingressar nos recordes, o contato deve ter distância igual ou maior aos 5 QSOs expostos em cada tabela, exceto nas tabelas com menos de 5 QSOs ou sem entradas registradas, valendo para tanto qualquer distância declarada.

Caso o informante tenha contatos recordistas repetidos para as mesmas estações nos mesmos localizadores, perfazendo as mesmas distâncias naquela banda e tipo de propagação, apenas um será incluído: o mais antigo ou o que disponha de uma quantidade suficiente de informações que o habilite a entrar na relação.

Não é obrigatório o envio do cartão QSL.

Para ingressar nos recordes, envie as informações segundo planilha do link envio.

Caso não seja citado o WW Locator, o(s) organizador(es) utilizarão correlatos ou o padrão da respectiva cidade baseado em fontes na internet.

Caso não seja especificado o tipo de propagação empregada, o(s) organizador(es) utilizarão:

a) o mais adequado às condições informadas de contato,
b) o mais usual para aquele enlace,
c) no caso de dúvida, elencar as possibilidades e associá-lo à contagem cujo tipo de propagação seja mais provável.

Se no decorrer do tempo surgirem mais informações sobre os contatos recordistas, ou novas interpretações sobre os tipos de propagação, é possível ocorrer o reposicionamento, inclusão ou exclusão de QSOs.

Se o QSO apresentar carência de dados elementares ou inconsistências, ele será citado em nota para que a informação seja preservada. Ele apenas ingressará ou retornará na tabela se os dados elementares forem informados, esclarecidos ou resgatados.

Se os dados do QSO forem comprovadamente adulterados e/ou falsificados, ele não será incluído na relação e se já constar em alguma tabela, será eliminado.

Os casos não previstos serão deliberados pelo(s) organizador(es).

Para dúvidas ou sugestões, utilize este link de contato.

Observações finais:

a - A escolha do software W4SM não significa que ele disponha de metodologia ou desempenho superior a outras formas de mensuração de distâncias. O objetivo é apenas dispor de uma base comum de contagem para todas as distâncias declaradas.

b - Apesar dos recordes serem baseados em contatos declarados, sem necessidade de envio de cartões QSL, reforçamos a orientação geral no DXismo que, ao realizar um QSO, efetue a troca de cartões QSL.

c - A inclusão ou atualização ou exclusão de dados não é automática, necessita intermediação e pesquisa humana voluntária, demandando portanto compreensão do informante para um prazo de análise não imediato e flexível.

Coordenação: Flávio A. B. Archangelo, PY2ZX

Regras, segunda edição, outubro 2010.